AVISO: Você deve habilitar Javascript no seu navegador para ver este conteúdo corretamente.

Imagem de fundo da barra do MPF

Ir para o conteúdo. | | Ir para a navegação

Logo da PRRJ
 
Imagem do logo da PRRJ
Imagem do logo do Youtube | Imagem do logo do twitter | Imagem do logo do rss
Você está aqui: Página Inicial FrontPage Notícias Presa auditora fiscal do INSS envolvida em esquema de corrupção com a Firjan
Ações do documento

Presa auditora fiscal do INSS envolvida em esquema de corrupção com a Firjan

publicado em 06/05/2005
Sindicato de auditores fiscais era usado como fachada para negociação de propinas

O Ministério Público Federal, através do procurador da República Fábio Aragão, ofereceu denúncia e pediu a prisão preventiva da auditora fiscal Maria Auxiliadora de Vasconcellos, presa às 6h30 desta sexta-feira (06) pela Força-tarefa, integrada pelo MPF, INSS e Polícia Federal, através da operação Sinceridade.

A operação também realizou buscas e apreensões de documentos no domicílio da auditora e no Sindicato dos Auditores Fiscais, denominado Sinsera, do qual ela é presidente. Maria Auxiliadora é denunciada por corrupção passiva. De acordo com a denúncia, o Sindicato estabelecia contatos com a Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) para que esta indicasse empresas que estariam dispostas a pagar propinas a vários auditores fiscais para não serem fiscalizadas.

A denunciada, Maria Auxiliadora, passou a ser investigada depois de um monitoramento telefônico realizado pelas investigações da Força-tarefa, no qual é identificado um esquema de corrupção envolvendo vários Fiscais da Previdência que receberiam dinheiro de empresários.

A auditora é acusada de dar suporte à quadrilha dos 13 fiscais presos, desde fevereiro, acusados de causar um rombo bilionário nos cofres da Receita Previdenciária. Somente em nove empresas a fiscal Maria Auxiliadora deu um prejuízo de 9 milhões aos cofres da Previdência ao deixar de lançar débitos em troca de propinas.

Estima-se que a Receita Previdenciária foi lesada, ao todo, em cerca de R$ 3 bilhões na máfia dos fiscais do INSS. Segundo a Receita Federal, a movimentação financeira da auditora fiscal também não é compatível com o salário que recebe. Entre os bens, estão 10 imóveis e três carros, dois importados.

Menu