AVISO: Você deve habilitar Javascript no seu navegador para ver este conteúdo corretamente.

Imagem de fundo da barra do MPF

Ir para o conteúdo. | | Ir para a navegação

Logo da PRRJ
 
Imagem do logo da PRRJ
Imagem do logo do Youtube | Imagem do logo do twitter | Imagem do logo do rss
Você está aqui: Página Inicial FrontPage Notícias MPF denuncia ex-integrantes do É o Tchan por estelionato
Ações do documento

MPF denuncia ex-integrantes do É o Tchan por estelionato

publicado em 10/09/2004

O procurador da República Gino Liccione denunciou em 24 de agosto Washington Luiz Silva Santos, o Compadre Washington, Roberto Pereira dos Santos, o Beto Jamaica (fundadores e ex-integrantes do grupo baiano É o Tchan), Luis Carlos Fernandes Adan (o empresário Carl Adan) e Francisco Claudino Gomes dos Santos.

Os três primeiros são acusados de cometer estelionato contra o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), de omitir informações em documento público e uso de papéis falsos. Além disso, Francisco teria cometido crime de falso testemunho.

Tudo começou em dezembro de 96, quando Luis Carlos, Washington e Roberto venderam para Francisco e para Wellington Ferreira dos Santos (vítima) as cotas da empresa Grupo Musical Gerasamba Ltda., que incluíam os direitos sobre as marcas Bicho da Cara Preta e Tchan. Os três já eram, à época, proprietários de uma empresa de nome Bicho da Cara Preta Produções.

Acontece que, em 21/2/97, eles transferiram no INPI para a empresa Bicho da Cara Preta os direitos sobre as marcas Bicho da Cara Preta e Tchan – direitos que eles, evidentemente, não tinham mais, já que haviam vendido. Para isso, apresentaram ao INPI um contrato social antigo da empresa, que omitia a venda a Francisco e Wellington. Francisco, teoricamente um dos lesados pelo trio, curiosamente procurou a Polícia Federal não para defender seus direitos e os de Wellington, e sim para prestar declarações inverídicas a favor dos outros denunciados.

A denúncia foi recebida pela juiz Lafredo Lisboa ontem, 08 de setembro, e o processo corre na 3ª Vara Federal.

Menu